Ajustes em benefícios do trabalhador brasileiro

Publicado no Diário Oficial da União no dia 10 de janeiro, o novo valor do seguro desemprego sofreu reajuste de acordo com a inflação, demonstrada no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O valor do índice, de 5,56%, foi o mesmo aplicado ao benefício, que agora pode chegar ao teto de R$ 1304,63.

O montante, definido pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador – CONFAT – é menor do que, por exemplo, a variação sofrida pelo salário mínimo este ano: 6,78%. Se o valor calculado fosse o adotado em anos anteriores (que era a inflação junto da variação anual do PIB), o cálculo seria aumentado em 9,2%.

Tem direito ao benefício o empregado que, em regime de CLT, foi demitido depois de seis meses de trabalho. Para o cálculo do valor a ser recebido pelo beneficiário é necessário ter em mente o valor recebido durante os meses de emprego, pois eles são a base de cálculo. Se a média de salários dos últimos três meses de emprego:

Até R$ 1151,06

O trabalhador vai ter direito equivalente a quatro quintos da média salarial (80%)

Entre R$ 1151,07 e R$ 1918,62

Nessa faixa salarial o benefício será composto da seguinte maneira: metade do valor da média salarial acrescido de R$ 920,85. Ou seja, quem ganhar a média salarial de dois salários e meio hoje (R$ 1810,00) terá como valor do seguro R$ 1820,85, já que será metade do valor da sua média (R$ 905) mais o valor fixo, totalizando mais até do que sua média salarial.

Acima de R$ 1918,62

Neste caso, o novo valor do seguro desemprego 2019 estará fixo no teto, que é de R$ 1304,63. O benefício é pago de três a cinco parcelas. Estima-se que, em 2014, mais de oito milhões e meio de brasileiros utilizarão o benefício, que gerarão uma despesa de R$ 33 bilhões aos cofres públicos.

Negócio: Hotel para cães

Investimento em estrutura, serviços exclusivos e atendimento diferenciado garantem a fidelização de clientes no segmento de hotéis para cães.

Em 1963 foi lançado o filme “Errado pra Cachorro”, estrelado por Jerry Lewis. O ator interpretava um passeador de cães que trabalhava em um pet shop, o qual ocupava um prédio de quatro andares e oferecia diversos serviços, como boutique de luxo, embelezamento sofisticado, veterinário e alojamento para cães. Desde o longa, já se passaram 50 anos, e talvez, naquela época, os norte-americanos já tivessem previsto que, além de bichos de estimação e melhores amigos do homem, os cães ganhariam o status de membros da família, recebendo, incluindo, os mesmos cuidados oferecidos às pessoas.

Pet Shop Dogs Life

O fato é que essa tendência foi expandida para diversos países, entre eles o Brasil. Ao longo dos meus 30 anos de profissão, trabalhando diariamente com animais domésticos, tive a oportunidade de acompanhar as principais dificuldades de quem tem um bichinho de estimação. Dentre essas preocupações estava a dúvida: “com quem deixar o cachorrinho em épocas como férias e feriados?”.

Para os que já conheciam os pet hotéis, havia ainda outro problema: a dificuldade de encontrar um estabelecimento de confiança, idôneo e que tratasse os animais com a mesma dedicação e carinho dos donos. Assim, em junho de 2010, minha esposa e eu inauguramos o Pet Hotel Dog Life para atender as necessidades dos proprietários que viajam a negócios ou lazer e também daqueles que trabalham diariamente e não querem deixar o pet sozinho por muito tempo.

Montar um pet hotel pode parecer um empreendimento arriscado, mas ao pesquisar, você descobre que os proprietários gostariam, sim, de ter à sua disposição um local como este. Além do mais, há algum tempo o mercado pet vem sinalizando a necessidade de investimentos na área de hospedagem e recreação de animais de estimação.

Basta mapear o setor: Hoje, o Brasil é o segundo maior mercado pet do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. Se falarmos mundialmente, o faturamento do setor gira em torno de quatro segmentos principais: o de pet food, com uma fatia de 66%, seguidos de serviços, 20%, equipamentos e acessórios 8% e medicamentos veterinários, 6%. IE, o segmento pet tem um grande potencial para crescimento e os riscos são mínimos para quem deseja investir com profissionalismo e seriedade nesse negócio.

Capacitação de equipe e estrutura diferenciada

Antes de abrir o pet hotel, nos preocupamos em montar uma equipe competente, composta por veterinários, monitores recreadores e adestradores, que dão toda atenção aos cachorros e os tratam como se eles fossem seus próprios animais de estimação. Procuramos também reunir em um só lugar uma gama de serviços, como centro veterinário. O serviço de táxi-dog, por exemplo, facilita a vida dos proprietários, principalmente quando agrega o serviço de creche canina.

Outro ponto importante é manter a harmonia e boa convivência de todos os hóspedes. Para garantir a segurança dos animais, desenvolvemos algumas diretrizes para admissão de novos hóspedes em nossas dependências. Não aceitamos, por exemplo, animais agressivos ou antissociais para as atividades em grupo.

Em uma área de mais 1000m², criamos um espaço que proporciona diversão aos cães para que eles não sintam tanto a ausência dos seus donos. O período de estadia é uma ótima oportunidade para que os cães se socializem entre si. Na área de recreação e lazer, temos o serviço de natação em piscina esterilizada e quadra de esportes, tudo monitorado 24 horas.

A estadia não era o suficiente para fidelizarmos os clientes. Foi então que passamos a oferecer, além de banho e da tosa, tratamentos de pelagem, como relaxamento, tintura, alisamento, cauterização e escova com luzes. No que diz respeito à saúde do pet, também contamos com uma clínica com médicos veterinários especializados em tratamentos como fisioterapia, acupuntura e hidroginástica.

Assim como em hotel para humanos, temos ainda pet boutique, que funciona como uma loja de conveniência. Nela, vendemos produtos de higiene e beleza, coleiras, roupas e rações de primeira linha. E para os donos que desejam uma lembrança do cãozinho durante sua estadia, produzimos um pet book, um álbum de fotografias feito por um profissional responsável por registrar os momentos especiais do bichinho no nosso hotel.

Promover a interação entre nossos clientes é essencial, uma vez que eles se conhecem no nosso estabelecimento, trocam informações, e até fazem amizade. E para estreitar esses laços e proporcionar a eles um momento de lazer junto aos seus cachorrinhos, realizamos festas comemorativas em datas como Carnaval, Páscoa, Festa Junina, Dia das Crianças, Dia das Bruxas e Natal. Nessas ocasiões também aproveitamos para conscientizar os clientes sobre os bichos de estimação abandonados e arrecadamos verbas e rações que são distribuídas para ONGs e associações de proteção animal.

Ter êxito ao investir em um empreendimento desses requer mais do que uma boa infraestrutura. É necessária a confiança, que se conquista após a realização do serviço, com resultados que agradam os clientes. O trabalho vai do momento em que se atende ao telefone, ou mesmo a campainha do estabelecimento, até o produto final. Para tanto, é preciso um trabalho profissional adequado e todos devem ter consciência de que os cães são muito mais que animais de estimação para seus proprietários, eles são considerados como filhos, por isso temos em mãos uma grande responsabilidade.